Página InicialSobreBlogContato
Fale Conosco:
Icone de contato

(13) 4101-0010

Icone de contato

contato@hexagon.pro

Blog

Ícone de página

Mudança no Brasil visam redução dos atrasos no setor portuário

24/08/2022

Compartilhe nas redes sociais:

http://api.hexagonpro.info:1337Atrasos no setor portuário.png

Atrasos no setor portuário, algo real e um fator desafiador para o setor.

Sabemos que o transporte marítimo é crucial para o comércio internacional, uma vez que transporta mais de 90% das mercadorias do mundo.

De acordo com as estatísticas do Fórum Econômico Mundial, aproximadamente 60% disso é transportado em contêineres.

Considerando a dependência esmagadora do transporte global no setor de transporte, sempre há muito foco na confiabilidade dos serviços de transporte e em sua eficiência.

O transporte de contêineres, em particular, está sob os holofotes no momento, já que os atrasos no setor portuário tem sido uma constante.

Estes atrasos no setor portuário intensificaram, desde o início da Pandemia causada pela Covid-19.

Desde então, devido aos atrasos, muitas empresas não estão conseguindo cumprir seus horários de navegação publicados e por consequência impactando severamente a experiência de seu usuário.

A confiabilidade média das linhas de transporte de contêineres historicamente tem oscilado em torno da marca de 66%, o que implica que apenas 2 em cada 3 navios chegam conforme o cronograma causando assim cada vez mais atrasos no setor portuário.

Um número que seria considerado inaceitável na maioria das outras indústrias.

Atrasos no setor portuário causados devido a mudanças do segmento

A indústria portuária está passando por uma transformação contínua devido às mudanças no ambiente interno e externo.

Desenvolvimentos tecnológicos e das cadeias de abastecimento nas quais os portos estão integrados, bem como a crescente participação do setor privado na prestação de serviços vem alterando a indústria portuária.

Atualmente a indústria portuária é caracterizada pela competição entre portos que são principalmente entidades comerciais e industriais, impulsionadas pelas condições de mercado, buscando (entre outros objetivos) aumentar o aumento de suas receitas.

Neste sentido, a satisfação do usuário assume uma importância crescente.

É sabido que os Portadores de Contêineres já possuem uma margem de erro de 2 dias, sem que a escala do navio seja contabilizada entre os atrasos.

Sendo talvez o elemento mais visível da cadeia de transporte, a maior parte da culpa pelos atrasos no setor portuário é atribuída aos transportadores de contêineres.

No entanto, na realidade, há uma série de diversos fatores em jogo, todos os quais, isoladamente ou em combinação com outros fatores, contribuem principalmente para o atrasos no setor portuário e no ritmo de entrega.

Causas de atrasos no setor portuário

Tempo

O clima seja talvez o motivo mais importante para horários interrompidos e consequente atrasos no setor portuário.

Os navios que navegam em alto mar estão expostos as inconstâncias do clima durante a maior parte de sua jornada. Quaisquer condições climáticas adversas, como furacões ou tempestades, atrasarão o navio e farão com que ele chegue além do horário programado, impactando severamente ao usuário.

Além disso, mesmo estando atracado, se as condições climáticas forem adversas, as atividades de carga e descarga serão suspensas, causando atraso na saída do navio do porto, prolongando assim sua jornada até os portos de escala subsequentes.

Alta temporada

Há certas épocas do ano em que a demanda do consumidor por bens e produtos é muito maior do que o normal.

Isso é típico durante a temporada de festivais e se traduz em volumes mais altos e coloca maior pressão na capacidade de transporte e na infraestrutura de manuseio de carga nos portos.

Nesses momentos, devido ao fluxo de carga mais pesado do que o normal, os portos demoram mais para manusear os navios, levando a uma estadia mais longa, o que, por sua vez, causa atrasos no setor portuário, resultando em um problema de escalas subsequentes.

Não há alta temporada padrão ou uniforme para os portos em todo o mundo. A alta temporada difere de porto para porto, de país para país e de região para região.

Navegações em branco

Durante períodos de baixa demanda (como durante o Ano Novo Chinês) ou imediatamente após a alta temporada, não há carga suficiente para encher os navios.

Portanto, as transportadoras cancelam algumas viagens nas rotas comerciais afetadas e preenchem a carga disponível no navio restante navegações.

Isso é chamado de blanking sailings, que, embora ajude as transportadoras a economizar nos custos variáveis dessa viagem específica, tem um impacto direto na confiabilidade do cronograma e nos atrasos de trânsito.

Omissões de chamadas portuárias

Quando um determinado porto está congestionado ou o manuseio e a evacuação da carga são excepcionalmente lentos, as transportadoras às vezes tomam a decisão de omitir esse porto específico e seguir diretamente para o próximo porto de escala programado.

Isso é conhecido como omissão de escala, onde os contêineres destinados ao porto omitido são então descarregados no porto seguinte e transportados de volta ao porto omitido (destino original) por meio de modos alternativos de transporte (ferroviário, navios alimentadores, caminhão).

Isso tem um impacto adverso na confiabilidade do cronograma e nos prazos de entrega da carga.

Congestionamento nos Portos

Neste cenário, a baixa confiabilidade é uma das causas do congestionamento nos portos.

Com o congestionamento impactando a operação portuária e a evacuação da carga para o destino, o que por sua vez causa atrasos na atracação e movimentação de navios, agravando confiabilidade do cronograma.

Em épocas excepcionais, como alta temporada ou devido a causas típicas, como problemas trabalhistas e más conexões, os portos congestionados exacerbarão ainda mais a baixa confiabilidade do cronograma e aumentarão os tempos de trânsito.

Congestionamento em terra/atrasos na evacuação de contentores

Por vezes, pode acontecer que os portos sejam geridos de forma eficiente e manuseiem os navios porta-contentores em tempo útil, mas as ligações ao interior são fracas ou não são fiáveis.

Isso pode causar atrasos no transporte para fora das instalações portuárias e para o seu destino.

Nesses casos, os contêineres se acumularão rapidamente no pátio de estocagem do porto, pressionando o espaço de armazenamento alocado.

Tais atrasos em terra irão agravar a confiabilidade do cronograma e levar a tempos de trânsito prolongados.

Suspensão e atrasos na alfândega

Às vezes, o tempo gasto pelas alfândegas e agências governamentais para inspecionar e passar o contêiner pode ser mais longo do que o normal ou mais do que o previsto.

Isso pode ser causado por uma série de fatores, como verificação muito rigorosa de cargas e contêineres, verificação adicional devido a informações sobre o transporte de contrabando, falta de mão de obra, processos burocráticos morosos, dentre outros

Isso aumentará o tempo de desembaraço dos contêineres, atrasando o processo de importação e exportação, e por consequência, causará maiores tempos de permanência nas áreas de armazenamento do porto.

Infraestrutura inadequada nos portos

Muitas vezes, as autoridades portuárias têm a infraestrutura básica instalada, mas carecem de recursos para atualizar suas instalações e infraestrutura para acompanhar o aumento do volume de contêineres e navios de tamanho superior que chegam às suas costas.

Nesses casos, isso inibe a capacidade do porto de lidar efetivamente com os navios que chegam, com o resultado de que eles demoram mais para carregar e descarregar contêineres, o que, por sua vez, causa atrasos nas embarcações e afeta a confiabilidade do cronograma e os prazos de entrega.

Otimização de bunker

Os custos de bunker constituem o maior item entre as Despesas Operacionais para todos os Porta-Contêineres.

Com a concorrência acirrada e margens muito pequenas, as operadoras são forçadas a se concentrar rigorosamente nos custos e tentar racionalizar sempre que possível.

Como o maior contribuinte para o OPEX, o bunker é obviamente uma área-chave para as transportadoras, e elas recorrem a táticas inovadoras para reduzir o consumo de bunker.

Como o consumo do bunker aumenta em proporção exponencial à velocidade de navegação, os benefícios da desaceleração são imediatos e substanciais, por isso todas as transportadoras adotaram o vapor lento como uma questão de política.

Hoje em dia, as novas construções são especialmente projetadas para o consumo ideal de bunker e com modificações que garantem que sejam mais adequadas para velejar em baixas velocidades.

Considerações Finais

Sabemos que um dos fatores importantes para os Portos, é gerar e fornecer valor aos seus usuários, desenvolvendo atributos.

Por outro lado, os usuários do Porto visam maximizar o valor que eles extraem com seu uso.

Afinal, as embarcações só ganham dinheiro quando são produtivas transportando cargas no mar.

Além dos tempos de atracação planejados para carga e descarga de carga, o tempo que um navio deve esperar fora do porto no fundeadouro determina principalmente a duração de sua estadia.

Sendo assim, o tempo de permanência do navio no porto é o principal fator para a qualidade do serviço portuário.

Consequentemente, um porto que é capaz de reduzir ou mesmo eliminar completamente os tempos de espera dos navios, inevitavelmente aumenta sua atração para as companhias marítimas, transportadoras e demais interessados.

Embora isso resulte em uma forte vantagem competitiva para portos com tempos de espera de navios reduzidos, os portos que lutam com tempos de espera mais longos enfrentam o risco de perder volumes de carga e, em última análise, receitas e bem-estar.

Compartilhe nas redes sociais:

Notícias relacionadas

Transformação Digital .png
27/11/2022

A transformação digital depende da implementação de sistemas inteligentes

Web Summit.png
08/11/2022

HexagonPro marcou presença no Web Summit 2022

TI e Portos .png
21/10/2022

Tendência de TI: Como elas impactarão os Portos?

Veja todos os posts